(31) 3421-3450
endolatina@endolatina.com.br

16/10/2017 :: Conheça as sete emoções que são inimigas do seu coração

Conheça as sete emoções que são inimigas do seu coração
Gazeta Online - Jornais Online - VITORIA - ES
Editoria: Notícia
Publicação: 01/10/2017

 
 
Raiva, culpa, inveja, vaidade, egoísmo, mentira e ganância são capazes de fazer muito mal a qualquer pessoa
 
Quando pensamos nos problemas que afetam nosso coração, logo vêm à mente o colesterol alto, o cigarro, a obesidade. Mas há uma outra lista de inimigos perigosos que podem prejudicar e muito nossa saúde.
 
Raiva, culpa, inveja, vaidade, egoísmo, mentira e ganância são capazes de fazer muito mal a qualquer pessoa, como enumera o médico endocrinologista Luiz Fernando Sella, autor do livro 'Os 7 inimigos do coração', lançado em junho deste ano.
 
'Percebo que, quando se fala em saúde, se pensa em alimentação, exercícios e nos tradicionais inimigos, como diabetes, colesterol, pressão alta. Mas o que vejo no consultório é que muitas pessoas adoecem por problemas emocionais e de relacionamento. Adoeceram por raiva, por culpa', destaca ele, que é especialista em Medicina de Estilo de Vida.
 
A raiva, por exemplo, toma conta da vida da pessoa que sente que as coisas não saem como ela planejou, que o mundo não está como ela quer ou quando as demais pessoas não agem com ela como ela gostaria.
 
'Esse sentimento pode gerar no organismo a secreção de vários hormônios ligados ao estresse, como o cortisol e a adrenalina. Esses hormônios aumentam a pressão arterial, a frequência cardíaca. Isso tem repercussão no sistema cardiovascular. Um estudo apontou que pessoas que tiveram uma crise forte de estresse tem oito vezes mais chance de sofrer um infarto em até duas horas depois', cita o médico.
 
E o que dizer da ganância? O ganancioso, apota Sella, é aquele que nunca está satisfeito e sempre acha que precisa de mais: mais status, mais fama, mais dinheiro. 'A ganância é um inimigo na medida em que a pessoa perde o equilíbrio entre a vida e o trabalho, esquece a família, deixa de lado o lazer, a saúde, ou seja, vive para aumentar sua renda, seu patrimônio até muito além do que é necessário para sua felicidade. Essa pessoa vai adoecer'.
 
A culpa também não traz nada de bom para a saúde. 'As pessoas se culpam por algo que fizeram de errado ou até por algo que não fizeram. Sentem a acusação da própria consciência. Elas têm um risco maior de depressão e maior propensão a vícios, como abuso do álcool, por exemplo, para anestesiar esse emoção', explica o médico.
 
Sella faz questão de explicar que não está se referindo somente ao coração físico, mas sim da sede mais profunda das emoções. 'Na nossa mente estão as raízes de nossos comportamentos. As pessoas precisam refletir, fazer uma autoanálise e se conhecer melhor para, dessa forma, poderem mudar suas atitudes buscando viver mais e melhor', observa.
 
Felizmente, diz ele, há um antídoto para cada um desses males que atingem nosso coração. Confira ao lado como lidar com os sete inimigos da nossa saúde física e emocional.
 
Como lidar com cada sentimento
 
Raiva
 
Como se manifesta
 
A pessoa tem sensação de que as coisas não saem como planejou, o mundo não é como ela deseja. Acha que as pessoas estão em dívida com ela. Isso acarreta a secreção de hormônios ligados ao estresse, como cortisol e adrenalina, que repercutem negativamente no sistema cardiovascular, podendo gerar problemas sérios ao coração
 
Antídoto
 
Se alguém te prejudicou, a cura é o perdão. Se o problema não é causado por ninguém, diretamente, é preciso exercitar a aceitação. Não se aborreça por algo que foge do seu controle
 
Culpa
 
Como ela se manifesta
 
A pessoa se culpa geralmente por algo que fez de errado, às vezes até algo demasiado pequeno. Ou se culpa por algo que deixou de fazer. Esse peso na consciência pode levar a doenças como a depressão ou a vícios como forma de se anestesiar desse sentimento
 
Antídoto
 
Às vezes, a pessoa até já foi perdoada, mas não consegue se perdoar. A cura é o autoperdão. Evite se martirizar tanto
 
Inveja
 
Como ela se manifesta
 
Surge da comparação. É não querer que o outro tenha aquilo que você gostaria de ter. O invejoso não é grato pelo que tem e dá mais importância ao que não tem
 
Antídoto
 
É a gratidão. Ser grato pelo que tem e não olhar só para o que acha que te falta

Ganância
 
Como ela se manifesta
 
O ganancioso nunca está satisfeito e sempre acha que precisa de mais: mais status, mais fama, mais dinheiro. Ele perde o equilibrio entre a vida e o trabalho, esquece a família, deixa a saúde e o lazer de lado. O resultado é o adoecimento
 
Antídoto
 
Ele precisa descobrir o prazer de compartilhar, de fazer os outros felizes, já que ele já tem tudo de que precisa
 
Mentira
 
Como ela se manifesta
 
A pessoa mente quando não quer deixar transparecer seus erros, suas limitações. Mentir traz alterações até fisiológicas. A pessoa se sente presa, culpada, gera desconfiança nos outros, o que afeta seus relacionamentos
 
Antídoto
 
É a busca da verdade. Deve-se ter a verdade como código de valor moral para si, ser correto mesmo que isso doa em outra pessoa
 
Egoísmo
 
Como ele se manifesta
 
O egoísta se sente como a única pessoa importante, a quem todos devem servir. O prejuízo social, mais do que o físico, é enorme
 
Antídoto
 
A cura é o amor. Passar a ver os outros como importantes, enxergar a necessidade deles
 
Vaidade
 
Como ela se manifesta
 
A questão aqui é a vaidade que torna a pessoa vazia, fútil, sem propósito na vida. Pessoas sem um sentido maior na existência têm autoestima baixa, são mais tristes e passam a ser dependentes da aprovação dos outros, dos aplausos, para serem felizes
 
Antídoto
 
A cura é buscar um sentido para a vida, uma missão, algo que dê motivação para acordar todos os dias e viver mais pleno e feliz 
 
 
Link original da matéria: http://www.gazetaonline.com.br/bem_estar_e_saude/2017/09/conheca-as-sete-emocoes...
 
Rua Jaceguai, 208 - Sala 1301, Bairro Prado ,Belo Horizonte - MG, 30.411-040.
(31) 3421-3450
© Copyright 2011 - ENDOLATINA. Todos os direitos reservados. ViaNet Brasil