(31) 3421-3450
endolatina@endolatina.com.br

14/01/2014 :: Conheça um outro uso da insulina além do tratamento de diabetes

Veículo: Clickideia
Mídia: Blogs
Editoria: Notícias
Página: Online

Localidade: Não Disponível - ND
Data de publicação: 13/01/2014
Data de inserção: 14/01/2014

O uso da insulina no tratamento de Alzheimer tem animado pesquisadores, que estão desenvolvendo um spray para aplicação no nariz para portadores da doença.

Provavelmente, você conhece ou já ouviu falar da diabetes. Essa doença é causada quando há pouca produção de um hormônio chamado de insulina, que retira a glicose (que é um tipo de carboidrato) do sangue e ajuda a transportar a glicose para as células para produção de energia. Assim, para todas as pessoas a insulina é uma substância superimportante e quando não é produzida de maneira suficiente, como no caso de quem tem diabetes não controlada, é preciso ingerir o hormônio.

Isso já é feito há muito tempo, mas, recentemente, o psicólogo e biólogo Manfred Hallschmid, da Universidade de Tübingen (Alemanha), descobriu que a insulina pode ser usada no tratamento de mais uma doença: o mal de Alzheimer. Essa doença ocorre no Sistema Nervoso Central, mas precisamente no cérebro. Os neurônios, que são as células cerebrais, começam a morrer. Milhões de pessoas no mundo todo, especialmente, as mais idosas a possuem e são muitos os sintomas da doença desde a perda da memória recente, até o incontrole total do corpo.

O pesquisador descobriu que a diabetes e o mal de Alzheimer estão relacionados e que um spray de insulina aplicado no nariz pode ajudar a diminuir os sintomas dessa última doença. Além dos alemães, pesquisadores brasileiros como a bioquímica Fernanda de Felice, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), também estão estudando a relação entre diabetes e Alzheimer.

Fernanda descobriu que os pacientes com Alzheimer não têm os receptores do hormônio insulina localizados no cérebro funcionando corretamente, porque eles ficam cobertos por uma placa de proteína chamada de beta-amiloide. A formação dessa placa de proteína sobre os neurônios é uma das características do mal de Alzheimer.

Sabendo disso, os pesquisadores brasileiros fizeram testes em animais com Alzheimer, dando-lhes remédios que aumentam a ação da insulina. Eles viram que com o aumento da insulina, diminui-se as placas de beta-amiloide e melhorou-se o desempenho dos animais.

Hallschmid já fez testes com seres humanos, mas não com os que possuem Alzheimer, com pessoas saudáveis e viu que o spray nasal de insulina melhora a memória e a capacidade cognitiva dessas pessoas. Já a pesquisadora americana Susan Craft fez o teste com pacientes com Alzheimer e também viu os mesmos resultados.

Por que pelo nariz? Porque assim a insulina chega mais rápido ao cérebro, sem passar pela corrente sanguínea. Dessa forma, ela não atua em outros locais e não diminui o nível de glicose no sangue.

Mais pesquisas serão feitas e será ótimo se os resultados forem tão promissores quanto estão parecendo ser.

Link original da matéria: http://www.clickideia.com.br/portal/mostrarConteudo.php?idPagina=34245

Rua Jaceguai, 208 - Sala 1301, Bairro Prado ,Belo Horizonte - MG, 30.411-040.
(31) 3421-3450
© Copyright 2011 - ENDOLATINA. Todos os direitos reservados. ViaNet Brasil